A família Carmelita é constituída de todas as pessoas e grupos, institucionais ou não, que se inspiram na regra, na tradição e nos valores da espiritualidade carmelita.

Tais somos nós, os frades, as monjas, as congregações religiosas agregadas, as Ordens Terceiras seculares, os institutos seculares, os associados à Ordem pelo Santo Escapulário e todos aqueles que por qualquer outro título gozam da agregação à Ordem, e também, aqueles que buscam inspiração e apoio na sua espiritualidade, e igualmente todo homem e mulher atraídos pelos valores vividos no Carmelo.

Juridicamente a Ordem Carmelita está estruturada da seguinte forma:
Ordem Primeira: Composta pelos frades;
Ordem Segunda: Composta pelas Monjas; e
Ordem Terceira: Composta por leigos e leigas.

E na Família Carmelitana quem são os Frades?

São homens que consagram suas vidas a Deus através de três votos pobreza, castidade e obediência e assim procurando seguir Cristo e segundo os conselho evangélicos. Esses frades, ou freis, podem servir ao povo de Deus como Padres, fazendo aquilo que é próprio do ministério sacerdotal, ou sendo irmãos que vivem igualmente os votos mas tendo como trabalho apostólico uma outra atividade.

E as monjas quem são?

As monjas carmelitas são mulheres que compartilham do mesmo carisma do Carmelo. Também fazem três votos pobreza, castidade e obediência, mas ao contrário dos frades sua missão não é externa e sim na clausura do mosteiro onde se dedicam a fraternidade, e a oração pela Igreja, visto que o ideal de uma monja carmelita e este viver em exclusividade absoluta para Deus em uma relação de esposa e esposo.

E os leigos?

São católicos solteiros é casados que se sentem chamados a partilhar do carisma do Carmelo. Para isso se reúnem em grupos onde se torna possível essa partilha da espiritualidade e como podem viver esse ideal dia a dia em suas famílias, trabalhos e em tudo que fazem.

E como nasceram os carmelitas?

Na Terra Santa há mais de 800 anos um grupo de homens vindo da Europa como peregrinos, penitentes ou para lutar nas cruzadas se reuniram em torno da fonte do Profeta Elias. Ali iniciaram um modo novo de vida em fraternidade e oração. No Carmelo um lugar ideal para contemplação se encontravam também na companhia de Maria a Senhora do Lugar . Em 1207 os carmelitas pedem a para Santo Aberto bispo de Jerusalém escrever a Regra do Carmo, formula de vida segundo o que os carmelitas viviam no monte Carmelo, depois foi confirmada pelo papa Inocêncio IV.

Em 1238 devido uma invasão dos muçulmanos os carmelitas são obrigados a deixar o Carmelo e migrar para a Europa, ali fundam os primeiros conventos em Chipre e na Inglaterra e depois se espalham por toda a Europa. Mais tarde expandiram-se por todo o mundo pregando evangelho e incentivando a devoção a Maria Senhora do Carmo.

Hoje o que fazem os carmelitas?

Presentes nos 5 continentes hoje os carmelitas tem diversos trabalhos seja em paróquias, colégios, centros de espiritualidade e estudos bíblicos e no trabalho social e caritativo.
Porém os carmelitas sejam frades, monjas ou leigos cada um por sua presença fraterna, orante e profética faz de sua vida uma atividade carmelita onde esta.

Quais os pontos principais da vida carmelitana?

A fraternidade: é um forma de cumprimento do primeiro mandamento “amar a Deus e ao próximo” ser fraterno para um carmelita nada mais e que esse desprender de amor pelos irmãos, e isso se torna possível graças a um processo nascido da escuta de Deus na palavra e na eucaristia e de uma profunda devoção a Mãe do Senhor.

A oração: todo homem tem necessidade de relacionar-se com Deus, esse relacionamento é oração, que no Carmelo e explicada por Santa Teresa como sendo “tratar de amor com quem sabemos que nos ama”. E os carmelitas são desafiados a isso a “meditar dia e noite na lei do Senhor” e estar em contato continuo com Ele.

O profetismo: é a escuta e anuncio da Palavra, oração assídua, luta pela justiça, comunhão de bens, reconciliação fraterna, serviço as pobres, solidariedade para com todos os homens e esperança operante.