batismo01_140223O Batismo de Jesus, celebrado por João nas águas sagradas do rio Jordão, nos recorda nossa consagração batismal. Ao contemplarmos o mistério do batismo de Jesus, pensamos que em nosso batismo uniram-se o humano e o divino. O batismo de Jesus unificou a comunidade divina à comunidade humana, edificando um pacto perene para todos os tempos.

Jesus precisava realmente ser batizado? É claro que não. João até não queria batizar Jesus, mas, Jesus queria mostrar que a sua atividade, que estava iniciando, seria a continuação daquilo que João Batista já estava anunciando. O batismo de João era para a remissão dos pecados, para a conversão.

Então por que Jesus foi batizado? O batismo de Jesus não visa purificar sua vida, vai além da adesão do projeto de Deus, é a manifestação do encontro entre o humano e o divino, pois Jesus o encarna em si, como seu autor.

O batismo de João para Jesus é a ratificação da filiação divina de Jesus diante da humanidade, como testemunho da sua unidade divina.
Interessante perceber que Jesus quis ser batizado antes de iniciar sua missão evangelizadora; parece até que era para nos mostrar o significado de ser batizado.
O que significa o Batismo para nós? Mais do que um gesto de tradição o Batismo nos dá uma nova constituição: a de filhos amados de Deus e seus discípulos missionários, um convite permanente para deixar-nos invadir pelo Espírito Santo, de comprometer-se com seu Reino.

Na vivência cristã, nosso maior risco é o esquecimento de Jesus, e o descuido de seu Espírito. Nesse sentido, o batismo significa uma experiência de rompimento de fronteiras profundas, de deslocamento para novos horizontes, de alargamento do coração, um movimento de expansão de todo ser.

batismo02_140223No Batismo, Jesus rompe com a “normalidade” de sua vida cotidiana e começa a ver tudo a partir de um horizonte mais amplo. Ele sente um chamado real para olhar a humanidade, com suas feridas e possibilidades, a partir da consciência de uma fraternidade ampla. Ao descer às margens do Jordão, Jesus desloca-se às margens da humanidade e rompe fronteiras.
Da nossa experiência batismal emerge uma pessoa internamente reconstruída, com vontade de sair daquilo que a limita, é a experiência de alguém que é impelido a lançar-se, assumir novos riscos, a deslocar-se para as novas encruzilhadas de si mesmo e da história. Essa “travessia” exige mudança de atitude, pôr-se a caminho, êxodo, sair de si, sair da margem conhecida, velha e rotineira, para encontrar a nova margem da relação, do compromisso, dos sonhos onde brotam as grandes experiências, as intuições, os ideais vitais.

Que possamos assumir a nossa condição de batizados, filhos de Deus, lavados de nossos pecados somos chamados a viver a graça da virtude e da santidade inseridos na vida da Mãe Igreja para darmos testemunho do Deus vivo.

Bibliografia:
“A hora de Nascer”- Pe.Xisto Bobato, “O Batismo para o povo”- Pe. Ernesto Roman, “Sou batizado.e daí? ” – Walter Ivan de Azevedo, “Jesus mergulha nas águas da humanidade”-Centro Loyola de fé e cultura.

0 Curtidas
1055 Leituras

Relacionados

Comente

Please enter your name. Please enter an valid email address. Please enter message.

%d blogueiros gostam disto: