Os sinais na vida humana e cristã

Vivemos em um mundo com uma quantidade elevada de símbolos: o raio de luz, a chama de fogo, a água que brota… Na vida de cada dia também existem gestos que expressam e simbolizam valores mais profundos: como o partilhar os alimentos (sinal de amizade), um passeata (sinal de solidariedade), permanecer em pé (respeito).

Como homens e mulheres temos a necessidades de sinais ou símbolos que nos ajudem a entender e viver. Como cristãos temos a Jesus, o grande dom e ao mesmo tempo sinal eterno do amor do Pai. Ele estabeleceu a Igreja como sinal e instrumento de seu amor. E inclusive utilizou pão, vinho, água para remontarmos à realidades superiores que não vemos nem tocamos: constituiu sinais capazes para dar-se-nos verdadeiramente, isto é, os Sacramentos. Na celebração dos Sacramentos os símbolos (água, óleo, pão, imposição das mãos, alianças) expressam e operam uma comunicação com Deus, que se faz presente através de coisas concretas e cotidianas. Ademais os sinais litúrgicos, existem na Igreja outros sinais, ligados a um acontecimento, a uma tradição, a uma pessoa. UM DESTES SINAIS É O ESCAPULÁRIO DO CARMO.

Origem do Escapulário

Na Idade Média muitos cristãos queriam unir-se às Ordens Religiosas então fundadas: Franciscanos, Dominicanos, Agostinianos, Carmelitas. Surgiu um laicado a elas associados mediante às Confrarias. As Ordens religiosas trataram de dar aos leigos um sinal de filiação e de participação em seu espírito e apostolado.

Este sinal estava constituído por uma parte significativa do hábito: capa, cordão, escapulário. Entre os Carmelitas se estabeleceu o Escapulário, em forma reduzida, como expressão de pertença a Ordem e de compartilhar sua devoção mariana. Atualmente o Escapulário da Virgem do Carmo é um sinal aprovado pela Igreja e proposto pela Ordem Carmelitana como manifestação do amor de Maria por nós e como expressão de confiança filial; Ela, cuja vida queremos imitar.

O “Escapulário” em sua origem era um avental que os monges vestiam sobre o hábito religioso durante o trabalho manual. Com o tempo assumiu um significado simbólico de querer levar a cruz de cada dia, como verdadeiros seguidores de Jesus. Em algumas Ordens religiosas, como o Carmelo se converteu num sinal de decisão de viver a vida como servos de Cristo e de Maria. O Escapulário simbolizou o vínculo especial dos Carmelitas a Maria, Mãe do Senhor, expressando a confiança em sua materna proteção e o desejo de seguir seu exemplo de doação a Cristo e aos demais. Assim se transformou num sinal mariano por excelência.

O Escapulário, Sinal Mariano

O Escapulário aprofunda suas raízes na longa história da Ordem, onde representa o compromisso de seguir a Cristo como Maria, modelo perfeito de todos os discípulos de Cristo. Este compromisso apresenta sua origem lógica no batismo que nos transforma em filhos de Deus.

A Virgem nos ensina :

  • a viver abertos a Deus e a sua vontade, manifestada nos acontecimentos da vida;
  • a escutar a voz (Palavra) de Deus na Bíblia e na vida, pondo em prática as exigências desta voz;
  • a orar fielmente sentindo a presença de Deus em todos os acontecimentos; e
  • a viver próximo de nossos irmãos e ser solidários com eles em suas necessidades.

O escapulário introduz na família do Carmelo, isto é, em uma grande comunidade de religiosos e religiosas que, nascidos na Terra Santa, estão presentes na Igreja há oito séculos. Compromete a viver o ideal desta família religiosa que é a amizade íntima com Deus através da oração. Apresenta o exemplo dos santos e santas do Carmelo com os quais se estabelece uma relação familiar de irmãos e irmãs. Expressa a fé no encontro com Deus na vida eterna pela intercessão de Maria e sua proteção.

O Escapulário do Carmo não é :

  • Um amuleto (um objeto para uma proteção mágica);
  • Uma garantia automática de salvação; e
  • Uma desculpa para não viver as exigências da vida cristã, ao contrário;

O Escapulário do Carmo é :

  • Um sinal “forte” aprovado pela Igreja há vários séculos e representa nosso compromisso de seguir a Jesus Cristo como Maria:
  • abertos a Deus e a sua vontade;
  • guiados pela fé, pela esperança e pelo amor;
  • solidários aos necessitados;
  • orando constantemente e descobrindo a presença de Deus em tudo;
  • um sinal que introduz na família do Carmelo; e
  • um sinal que alimenta a esperança do encontro com Deus na vida eterna sob a proteção de Maria Santíssima.

Normas práticas

O Escapulário é imposto uma única vez por um sacerdote carmelita ou outra pessoa autorizada; Pode ser substituído por uma medalha que represente por uma parte a imagem do Sagrado Coração de Jesus, e por outra a da Virgem. Esta medalha é abençoada quando é trocada. O Escapulário é para os cristãos autênticos que vivem conforme as exigências evangélicas, recebem os Sacramentos e professam uma especial devoção a Santíssima Virgem (expressada com a reza cotidiana de ao menos três Aves Marias).

Fórmula de imposição do Escapulário

Recebe este Escapulário, sinal de uma relação especial com Maria, Mãe de Jesus, que te comprometes a imitar. Este escapulário te recorde tua dignidade de cristão, tua entrega ao serviço do próximo e a imitação de Maria. Leva-o como sinal de sua proteção e como sinal de tua pertença à família do Carmelo. Esteja disposto a cumprir a vontade de Deus e a comprometer-te no trabalho pela construção de um mundo que responda ao plano de fraternidade, justiça e paz.