provincia_parana_01A presença do Carmelo no Paraná remonta ao ano 1709, quando os carmelitas de São Paulo fizeram uma fundação em Tamanduá, hoje município de Balsa Nova, que durou até quase a metade do século XIX. Estiveram presentes também na Fazenda Capão Alto, município de Castro, entre 1751-1770. No século XX os carmelitas de São Paulo fizeram mais duas tentativas de estabelecimento em terras paranaenses: Paranaguá (1915-1919) e Curitiba, na Paróquia Nossa Senhora do Carmo do bairro Boqueirão (1954-1959).

Em 1951 o missionário carmelita alemão frei Ulrico Goevert chegou em Paranavaí. Ele estava trabalhando com os carmelitas de Pernambuco desde 1936. Na época a Paróquia São Sebastião de Paranavaí pertencia à diocese de Jacarezinho e tinha uma extensão territorial maior do que a atual diocese paranavaiense. Nos anos sucessivos chegaram outros padres carmelitas da Alemanha. Desenvolveram um intenso trabalho pastoral nas nascentes cidades do noroeste paranaense, entre os rios Ivaí-Paraná-Paranapanema.

provincia_parana_02Em 1952 iniciaram uma escola paroquial, que se tornou o Colégio Nossa Senhora do Carmo. Em 1954 inauguraram um jardim de infância, que mais tarde foi passado às irmãs vicentinas. Hoje é a Escola São Vicente de Paulo.

Frei Boaventura Einberger chegou no Brasil em 1953 com a missão de fundar o seminário de Graciosa. Os primeiros 7 seminaristas começaram a estudar ali já em 1956. Funcionou como seminário menor até 1993, quando o local passou a ser noviciado. Neste seminário estudaram os sacerdotes: Enedino Caetano Pereira, Wilmar Santin, Paulo Mendes, Josué Ghizoni, Gentil Lima, Antonio Babeto Spinelli, Aparecido Góis, Ivani Pinheiro Ribeiro, Reginaldo Manzotti e Irineu Miguel da Silva.

provincia_parana_03Como sempre acreditaram nas vocações nativas, os carmelitas do Paraná não pararam no Seminário Imaculada Conceição de Graciosa. Fundaram uma comunidade no bairro Fanny de Curitiba (1967) para abrigar os estudantes de Filosofia e Teologia. Entre os anos 1972 e 1980 foi também casa de noviciado. Em 1969 abriram o Seminário São João da Cruz em Paranavaí para os seminaristas do ensino médio (colegial). Diante da necessidade de se criar uma própria casa para postulantes, abriram uma comunidade na Vila Acordes, Paróquia São Pedro de Curitiba. Posteriormente esta comunidade foi transferida para o Bairro Novo com o nome de Casa de Postulantado Beato Tito Brandsma. Também no Bairro Novo foi aberta a casa de Teologia Nossa Senhora do Carmo.

Dentro de um programa de expansão de atividades pastorais, no início de 1967 os padres carmelitas de Paranavaí aceitaram a Paróquia São José de Cidade Gaúcha e no ano seguinte, a Paróquia Nossa Senhora do Rocio de Tapira. Na época pertenciam à diocese de Campo Mourão, mas com a criação da diocese de Umuarama passaram a pertencer a esta última. Lá trabalharam até 1993. Para dar uma resposta concreta ao problema de mendigos e dependentes químicos, em 1995 iniciaram a Casa do Servo Sofredor na Vila Fanny, que depois se estendeu também para outros locais de Curitiba e persistem até hoje.

provincia_parana_04Em dezembro de 1967 deram início à Paróquia Nossa Senhora da Conceição do bairro Fanny em Curitiba. A pedra fundamental da matriz havia sido colocada (1954) pelos padres carmelitas de São Paulo, visto que a Vila Fanny, na época, pertencia à Paróquia Nossa Senhora do Carmo do Boqueirão. Em 1984 os carmelitas do Paraná tomaram a iniciativa de irem ao Estado do Mato Grosso do Sul, assumindo a Paróquia Bom Jesus de Dourados (a qual deixou de pertencer ao Comissariado em 2008).

Retomando suas origens missionárias, o Comissariado Carmelita do Paraná em 1993 tomou a decisão de abrir uma
frente missionária na região amazônica. Por isso em 1994 aceitou a Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Rolim de Moura, RO, diocese de Ji-Paraná. Em março de 2009, assumiram a Paróquia São Lázaro em Manaus, entregue dois anos depois.

Ainda no ano de 2009 foi assumida a Paróquia São Domingos Gusmão em Navegantes Santa Catarina e em 2011 a Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem em Florianópolia, Santa Catarina.